sábado, 8 de novembro de 2014

Porque o dia das bruxas cai exatamente no dia da Reforma Protestante?

Fotomontagem - Rev. Evaldo Beranger
Parece coincidência, mas não é, embora isto não faça parte de uma conspiração demoníaca para desvalorizar a Reforma Protestante. A data foi perfeita nos planos de Deus para que o impacto da Reforma fosse maior. A importância da data para a Reforma é que Lutero escolheu, propositadamente ou não, um dia para fixar suas 95 teses que resultaria em grande e eficaz divulgação de suas intenções, já que nestes dias “santos” a Catedral de Wittenberg ficava apinhada de gente. O que isto tem a ver com o dia das bruxas?
 O dia 31 de outubro, coincidentemente, traz marcas de diversas culturas. Na católico-romana, ela é a véspera do dia de todos os santos e antevéspera do Dia de Finados. Antes de prosseguir, precisamos definir alguns termos: Dia das bruxas não é tradução de Halloween! A etimologia do termo remonta, segundo os melhores dicionários, à expressão "All hallow's eve" que significa véspera (do dia) de todos os santos. O dia de todos os Santos é um feriado Católico Romano que antecede o dia de finados ou dos mortos. Talvez haja alguma ligação com as comemorações celtas de fim de ano, o "Samhaim" que ocorria no fim de outono e começo de inverno, quando cessavam as colheitas e eles acreditavam que os mortos voltavam para visitar suas antigas casas. Para assustar os fantasmas eles usavam abóboras com velas dentro e buracos imitando olhos, bocas e narizes. 
A associação com as bruxas pode vir da perseguição aos protestantes e mulheres suspeitas de paganismo impetrada pela Inquisição. A véspera do dia de todos os santos foi o dia em que Lutero, no ano de 1517 pregou na Catedral de Wittemberg suas 95 teses que são consideradas o marco da Reforma Protestante. 
O dia de todos os Santos era dia de igreja cheia e, juntando ao fato de Lutero ter escrito suas teses em alemão e não latim, o "All hallow's eve" ou Halloween (comemorado na longínqua Irlanda) foi apenas, coincidentemente, o mesmo dia da Reforma, se bem que eu duvido que esta comemoração já existisse no começo do século XVI.
O dia 31 de outubro de 1517 marca, então, o início da Reforma Protestante, que deu origem à grande diversidade de igrejas cristãs que conhecemos hoje em dia. O protestantismo já foi acusado de heresia, de dividir a igreja de Cristo e hoje responde por abrigar algumas denominações evangélicas cuja idoneidade e ética têm sido questionadas e mal vistas. 
O respeito conquistado pelas igrejas históricas através da seriedade do estudo da Bíblia e ética pessoal está se escoando rapidamente a cada novo escândalo ou bizarrice do famigerado segmento evangélico ou gospel.
A Reforma Protestante do século XVI nasceu com a marca de seu tempo: a luta individual de um  homem para ser aceito por Deus leva-o a pesquisar na fonte das Escrituras Sagradas o que poderia livrá-lo da culpa que destruía sua alma. Encontrou a fé como canal da graça salvadora e, ao expor suas lutas interiores, descobriu que seus anseios tinham ressonância nos homens de seu tempo e sua época. 
O homem comum foi quem a tornou um movimento que varreu em poucos anos a Europa. Da mesma forma, nos países anglo-saxões, herdeiros das tradições dos celtas e druidas que habitavam a região da atual Grã-Bretanha, comemorava-se no dia 31 de outubro o fim do verão marcado pelo equinócio de primavera no hemisfério norte. Neste dia, o dia e a noite tem exatamente 12 horas de duração. O chamado Dia das Bruxas (tradução equivocada do termo Halloween) é o resquício de festas agrícolas e religiosas dos antigos celtas que aos poucos foi sendo associada a bruxas, abóboras, doces ou travessuras, especialmente nos Estados Unidos.
Quem mais influencia a cultura Brasileira? Certamente não é o protestantismo. A substituição
da tradição católica romana, que nos veio através de Portugal e seus feriados de todos os santos e finados; e pela tradição americana do Halloween, apenas mostra que mudamos de colonizadores
culturais. Antes seguíamos as festas da Europa latina e agora estamos nos “convertendo”, como cultura nacional, ao comércio norte americano que transforma tradições em fontes de lucro. Veja o que fizemos com o Natal.
Demonstra também que o protestantismo quase não tem deixado marcas na cultura e ética brasileira. Talvez porque tenha se acovardado e perdido a sua identidade. Ou deixamos a cultura brasileira nos colonizar. Pergunte aos evangélicos, ou até aos católicos, o que significa o dia 31 de outubro e talvez você ouça que é o Dia das Bruxas, ou quem sabe, Cosme e Damião. 
Precisamos transformar nossa religiosidade em vida para que deixemos marcas permanentes em nossa sociedade. Retornar a princípios que nunca devem ser abandonados enquanto abandonamos outros princípios que provêm do velho homem e que ainda dirigem nossa vida. A Reforma Protestante do século XVI começou e cresceu entre homens que ousaram querer mais de Deus!
Deus mesmo se encarregou de usá-la para mudar o mundo ocidental, a própria Igreja Católica e de quem descobriu a fé em Cristo.